Lendo:
Digitalização nas cooperativas de crédito: por onde começar?
Compartilhar:
Image

Digitalização nas cooperativas de crédito: por onde começar?

Avatar
06 May 2020

À medida que o “novo normal” bate a porta sem cessar, como as cooperativas podem acessar a potência da transformação digital e não paralisarem em meio ao caos?

Sabemos que agora, mais do que nunca, bate a porta a urgência de inovar, e incorporar à rotina elementos que pertencem à cultura digital.

Ao mesmo tempo, são tantas dúvidas:

Como eu conecto meu time se não nos vemos todo dia?

Como meu cooperado vai reagir?

Pensando nessa situação, separamos alguns pilares para apoiar cooperativas a acessarem sua potência, sem perder a identidade e o relacionamento cooperativista mesmo no meio digital.

1. Jornada do Cliente e Experiência do Usuário (UX)

Você sabe exatamente como seu cliente se sente em cada ponto de contato e interação com a cooperativa?

No mapeamento da jornada do cliente, olhamos para todos os pontos de contato com o cooperado e quais ações, sentimentos e anseios estão presentes ao longo do processo.

O que torna a sua cooperativa única?

É o relacionamento próximo, em que trata-se o cooperado pelo nome?

É aconselhamento de pertinho, realmente prezando pelo melhor para a situação de cada um?

É a partir do que já existe e de quais já são os pontos fortes da cooperativa que então olhamos para o digital. Muitas vezes não é preciso reinventar a roda, nem criar nenhuma tecnologia mirabolante. O que pode transmitir aquela sensação de proximidade que há na agência? Um vídeo falando diretamente com o nome do cooperado? Qual é o maior brilho do atendimento e como se pode reproduzir online?

2. Mindset Ágil e de Growth

Para além de palavras bonitas em inglês, qualquer um que já teve contato com metodologia científica já está familiarizado com o que temos aqui.

É hora de abraçar o erro, antes que o erro nos abrace.

Quando falamos em agilidade e Growth Hacking, uma ideia principal que está presente é: erre. Erre muito. Mas não de qualquer jeito.

De nada adianta sair atirando para todos os lados ao mesmo tempo, se depois não haverá um ambiente constante e controlado que permita tirar conclusões sobre o assunto. Por isso:

Delimite hipóteses

O que você quer descobrir a cada interação? Mantenha todas as outras variáveis constantes para que seja possível diagnosticar o que realmente fez a diferença no resultado esperado.

Por exemplo: Buscando melhor se comunicar com seu cooperado, você realizou uma mega campanha em que enviou ao cooperado um vídeo no WhatsApp, um e-mail, e também patrocinou posts em mídias sociais. E a campanha foi um sucesso! Seus cooperados reagiram e realizaram a ação proposta nessas peças de comunicação. Mas agora, qual meio foi realmente efetivo para que o cooperado tomasse essa ação?

Valide com seu cooperado sempre

Em tempos como esse, mais do que nunca é hora de estarmos próximos (digitalmente, é claro). Converse com seu cooperado. Pergunte para ele o que ele sente falta, como está se sentindo e quais são suas necessidades. Se pôr a serviço de apoiá-lo em seu processo de forma próxima é a chave para delimitar boas hipóteses e errar muito menos até chegar a um bom resultado.

E o principal: erre rápido e erre barato

Quando falamos em fazer testes, não é preciso que haja toda um grande planejamento de hipóteses e testes. Se for rápido e barato de testar, teste. Aprenda rápido e implemente melhorias incrementais, um passo de cada vez.

3. Ecossistema de Ferramentas

Nesse ponto, menos é mais.

Eu sei que em tempos como esse dá muita vontade de desenvolver nosso próprio aplicativo. Ou melhor, um sistema que concentre tudo e o que todos. E tenha as informações e comunicações para tudo que acontece na cooperativa.

Ao mesmo tempo, confia em mim: não é preciso reinventar a roda.

Tudo que não precisamos agora é ter longas reuniões e longos períodos de desenvolvimento do zero para lançar um novo sistema. Ainda mais quando já existem muitas ferramentas - desenvolvidas, testadas e aprovadas - disponíveis. (Lembra da agilidade do tópico anterior?)

Uma boa aposta aqui é utilizar ferramentas simples e boas integração, com aplicativos como o Zapier. Foque no que as pessoas já sabem usar. Ferramentas simples e cotidianas tem um poder imenso na transformação digital e essa é uma grande hora para explorá-las.

* Não esqueça: Eduque seu cooperado contra fraudes

Momentos como esse são uma propulsão para a magia do digital, mas também para tudo que vem no outro lado da moeda. Golpes sabendo da vulnerabilidade das pessoas são frequentes nesse cenário. Para além de reforçar sua segurança com o time de tecnologia, eduque o cooperado.

Gostou desse conteúdo? Inscreva-se na nossa Newsletter!

Inscreva-se na News aqui!

Posts relacionados

Icon For Arrow-up